Inspirado nos memes, Extra mostra quais foram as mudanças no consumo durante a quarentena

Inspirado nos memes, Extra mostra quais foram as mudanças no consumo durante a quarentena

A mudança de comportamento trazida pelo isolamento social dos que podem ficar em casa gerou também novos hábitos de consumo.

Circulam nas redes sociais alguns memes que mostram a percepção dessas mudanças. Inspirado nessas brincadeiras, o EXTRA decidiu mostrar quais produtos tiveram realmente aumento ou queda nas vendas durante a quarentena.

Pesquisas semanais feitas pelo Kantar Ibope apontam que o papel higiênico, por exemplo, registrou alta nas vendas, nas primeiras semanas de isolamento, durante o período de estocagem. Depois, porém, o volume de vendas voltou à normalidade. De acordo com o estudo, o abastecimento dos lares, no primeiro momento, foi com produtos básicos e não perecíveis.

Na última semana de março, e durante o mês de abril, porém, os consumidores passaram a comprar mais produtos com foco na indulgência e na praticidade, segundo o consultor de varejo Marco Quintarelli:

— No começo as pessoas se preocuparam se haveria um desabastecimento. Por isso, priorizaram os itens básicos. Depois, como perceberam que não haveria esse problema, começaram a comprar mais produtos de consumo imediato, como salgadinhos, pães, frios, comidas congeladas, pela praticidade e pela indulgência.

Erico Carvalho de Souza, diretor de Canais Virtuais da Midea Carrier, conta que as vendas nas duas primeiras semanas de quarentena em São Paulo caíram 45%. No entanto, nas duas primeiras semanas de abril, as vendas de algumas categorias de eletroportáteis, como fritadeiras elétricas, panelas e aspiradores, cresceram mais de 100%.

— Nós acreditamos que, no começo do isolamento, o consumidor focou em produtos de primeira necessidade, em detrimento dos demais bens duráveis. Mas, ao passar o primeiro impacto e com o massivo trabalho por home office, o consumidor sentiu a necessidade de produtos que facilitassem sua vida na cozinha e na limpeza da casa — avalia.

O consumo de bebidas alcoólicas também cresceu. A rede de supermercados Super Prix registrou um aumento de 27% na venda desses itens (vinhos, cervejas, e destilados) em março deste ano, em relação ao mesmo mês de 2019, quando, inclusive, foi comemorado o Carnaval.

— Esse aumento tem sido observado com preocupação, pois se o consumo de bebidas alcoólicas se tornar um hábito, pode ser um problema — diz Quintarelli.

Fonte: extra.globo.com

Print Friendly, PDF & Email
%d blogueiros gostam disto: