Oscar: veja quem provavelmente vai ganhar em cada categoria

Oscar: veja quem provavelmente vai ganhar em cada categoria

Quem vai levar a melhor: “Parasita” ou “1917”? O brasileiro “Democracia em Vertigem” tem chance? Algum filme vai sair de mãos abanando? Faça suas apostas.

Primeiro, veio o filme do Tarantino. Depois, todo mundo só falava na história do palhaço. E aí, um drama sul-coreano virou o queridinho do público, seguido por uma sátira ao nazismo e um épico sobre a Primeira Guerra, que levou todos os prêmios que viu pela frente.

Pois é. O Oscar deste ano se configurou como um dos mais fortes (e, portanto, imprevisíveis) dos últimos anos. Nove filmes disputam o troféu principal, mas esta não é a única categoria incerta – é difícil apontar um vencedor em diversas outras, mesmo para a crítica especializada.

Cá entre nós, vamos combinar que esse tipo de incerteza é o que traz emoção à cerimônia, que acontece no próximo domingo, dia 9. No entanto, é verdade, também, que parte da emoção está em fazer aquele bolão com os amigos – e tentar acertar o maior número de vencedores.

Se você ainda não terminou as suas apostas, preparamos uma lista com os prováveis vencedores da noite. Utilizamos como base duas fontes principais: o Metacritic, site que compila as opiniões de dezenas de críticos de cinema da gringa, e os prêmios dos sindicatos, um parâmetro sólido para fazer previsões (e que nós já explicamos aqui). Ah, e uma pitada de intuição também.

FILME

Provável vencedor: 1917

Vamos olhar, então, para a parte de cima da tabela. Coringa é o recordista de indicações de 2020 (11) e venceu o prêmio principal no Festival de Veneza. O Irlandês e Era Uma Vez em…Hollywood fizeram muito barulho quando estrearam e ganharam alguns troféus, como o New York Film Critics Circle Award e o Globo de Ouro de Melhor Comédia, respectivamente.

Todos são fortes concorrentes, de fato, mas Parasita e 1917 são os favoritos do momento. Parasita foi a grande surpresa estrangeira: venceu o prêmio de melhor elenco do SAG, do Sindicato dos Atores, e como Melhor Roteiro Original do WGA, do Sindicato dos Roteiristas. Se levar o Oscar, fará história como o primeiro “forasteiro” a levar a estatueta máxima do cinema norte-americano.

Mas tem algo no meio desse caminho: 1917 é o filme a ser batido. Levou todos os prêmios possíveis: Globo de Ouro, Bafta, Critics’ Choice, DGA (leia logo abaixo) e, mais importante de tudo, o PGA, prêmio do Sindicato dos Produtores e que costuma antecipar o vencedor da categoria principal do Oscar.

DIREÇÃO

Provável vencedor: Sam Mendes (1917)

Com apenas cinco vagas, essa categoria deixou muita gente de fora – e sem nenhuma diretora, novamente. Mas vamos lá: Todd Phillips (Coringa), Quentin Tarantino (Era Uma Vez…) e Martin Scorsese (O Irlandês) são fortes concorrentes, mas a disputa, nas últimas semanas, fechou-se entre Sam Mendes (1917) e Bong Joon Hoo (Parasita).

Hoo tem ao seu favor a mesma torcida que Alfonso Cuarón teve com Roma no ano passado. Mas o diretor mexicano, na época, recebeu o DGA, prêmio do Sindicato dos Diretores, coisa que Hoo não conseguiu. Ao invés dele, o vencedor deste ano foi Sam Mendes.

O DGA é extremamente relevante. Em seus 71 anos de existência, só sete diretores o venceram sem conquistar o Oscar. Mendes conquistou também o BAFTA e o Critic`s Choice Awards. As chances estão com ele, que já venceu uma vez em 2000 com Beleza Americana, seu filme de estreia.

ATUAÇÃO

Prováveis vencedores: Ator – Joaquin Phoenix (Coringa), Atriz – Renée Zellweger (Judy), Ator Coadjuvante – Brad Pitt (Era Uma Vez em…Hollywood), Atriz Coadjuvante – Laura Dern (História de um Casamento)

Aqui estão as apostas mais seguras para o seu bolão. O quarteto já levou todos os prêmios possíveis da temporada, e qualquer outro nome além deles será uma grande surpresa.

Phoenix disputa sua quarta indicação ao Oscar (as outras foram por Gladiador, Johnny e June e O Mestre). Zellweger ganhou uma vez como coadjuvante por Cold Mountain, e Dern possui outras duas nomeações (As Noites de Rose e Livre).

Brad Pitt disputa em uma das categorias mais estreladas da noite. Entre seus concorrentes, Anthony Hopkins, Al Pacino, Joe Pesci e Tom Hanks, todos veteranos e devidamente oscarizados. Mas depois de outras quatro indicações, 2020 é o seu ano.

Mas vale dizer: será o seu primeiro Oscar de atuação, mas não o primeiro troféu do tipo: em 2014, ele foi um dos produtores a vencer o prêmio de Melhor Filme por 12 Anos de Escravidão. Nesta categoria, aliás, ele já concorreu outras duas vezes, por Moneyball e A Grande Aposta. Ligeiro, não?

ROTEIRO

Prováveis vencedores: Original – Era Uma Vez em…Hollywood, Adaptado – Jojo Rabbit

As categorias de roteiro estão complicadas. Entre Facas e Segredos e Dois Papas receberam ótimas críticas, mas nenhum chegou a vencer o o WGA, prêmio do Sindicato dos Roteiristas que ficou para Parasita (original) e Jojo Rabbit (adaptado).

Mas tem um porém: Era Uma Vez… não pôde competir nesta premiação, pois Tarantino não é associado ao sindicato. Isso muda um pouco o jogo na categoria Roteiro Original, e tanto ele como Parasita podem levar.

Em Roteiro Adaptado, quem pode estragar a festa de Taika Waititi é Adoráveis Mulheres, no que seria um Oscar “de consolação” para Greta Gerwig, esnobada na categoria de Direção. Mas o fato de que o livro original, escrito por Louisa May Alcott, já ter sido adaptado quatro vezes para as telonas enfraquece um pouco suas chances.

FILME ESTRANGEIRO

Provável vencedor: Parasita

Aqui não tem segredo. Os outros concorrentes (Corpus Christi, Honeyland, Os Miseráveis e Dor e Glória) são todos muito bons, mas a popularidade deles não chega nem perto da do filme coreano. Este prêmio já está nas mãos de Bong Joon Hoo.

ANIMAÇÃO

Provável vencedor: Klaus

Esta é uma das categorias mais incertas deste ano. O Link Perdido venceu o Globo de Ouro. Klaus, filme natalino da Netflix, trouxe técnicas inovadoras e ganhou diversos troféus no BAFTA e no Annie, considerado o Oscar da animação. I Lost My Body é outra produção da Netflix que se deu bem nesse prêmio.

Em contrapartida, o quarto capítulo de Toy Story foi sucesso de público, recebeu boas avaliações e ganhou tanto o Critic`s Choice quanto o PGA, do Sindicato dos Produtores. Não será nenhuma surpresa se Woody e cia. levarem esse troféu para casa.

DOCUMENTÁRIO

Provável vencedor: Indústria Americana

Você deve estar se perguntando: mas e Democracia em Vertigem? Dirigido pela cineasta Petra Costa, o documentário é o Brasil no Oscar deste ano. Mas as chances de vitória são pequenas: Indústria Americana, filme da Netflix em parceria com a Higher Ground, recém-criada produtora de Michelle e Barack Obama, fala sobre as relações de trabalho entre EUA e China e vem ganhando diversos prêmios. Levou 16 troféus até agora. O filme de Petra Costa ganhou apenas um, da Associação Paulista dos Críticos e Arte.

Em segundo lugar na lista de favoritos está Honeyland, um sensível documentário da Macedônia do Norte sobre a vida de uma apicultora. É tão bom que fez algo inédito: disputa como Melhor Documentário e Melhor Filme Estrangeiro. 

TRILHA SONORA

Provável vencedor: Coringa

Neste ano, a categoria está repleta de pesos-pesados que, juntos, somam incríveis 99 indicações ao Oscar. John Williams (Star Wars) é a autoridade máxima, com 52 nomeações no currículo, seguido por Randy Newman (História de um Casamento, 20), Thomas Newman (1917, 15) e Alexander Desplat (Adoráveis Mulheres, 11). Mas a favorita, vejam só, é uma estreante: a islandesa Hildur Guðnadóttir, pelo belíssimo trabalho em Coringa, essencial para a história.

CANÇÃO ORIGINAL

Provável vencedor: “(I`m Gonna) Love Me Again” (Rocketman)

Frozen já levou o seu com “Let It Go”, e a música de sua continuação, “Into The Unknown”, não fez tanto sucesso quanto sua antecessora. A franquia Toy Story também compete aqui com “I Can`t Let You Throw Yourself Away”, mas os bonequinhos falantes já levaram essa estatueta para casa em 2011, por Toy Story 3.

Nada melhor, então, do que premiar a dupla Elton John e Bernie Taupin pela música que encerra a (ótima) cinebiografia do cantor britânico, esnobada no restante do Oscar.

EFEITOS VISUAIS

Provável vencedor: 1917

O live action de O Rei Leão e o último Star Wars não têm chances. O rejuvenescimento digital dos atores de O Irlandês são bons, porém não foram unanimidade entre quem assistiu. 1917 tem bons efeitos, e o prêmio pode vir junto com os outros que levará na noite do Oscar.

Há quem acredite, contudo, em um troféu para Vingadores: Ultimato. Seria uma ótima forma de homenagear o longa, que se tornou a maior bilheteria da história do cinema no ano passado, e aqueceria o coração de milhões de fãs – inclusive deste que vos escreve.

FOTOGRAFIA

Provável vencedor: 1917

Esta é uma categoria forte. O Irlandês, Coringa, O Farol e Era Uma Vez… têm cacife suficiente para a estatueta. Mas é praticamente certo que 1917 levará mais esse.

A fotografia do filme, afinal, é um feito. Roger Deakins, responsável por essa parte do filme, já foi indicado 15 vezes ao prêmio – ganhou em 2018 por Blade Runner 2049 – e parte do mérito do filme vem do seu trabalho: a sensação de que a história é contada em um plano-sequência, sem nenhum corte. Durante as gravações, era preciso, por exemplo, esperar que ficasse nublado, para manter a continuidade das cenas.

MONTAGEM (EDIÇÃO)

Provável vencedor: Ford vs. Ferrari

O longa conta a história do embate entre as duas marcas automobilísticas e a histórica corrida de Le Mans em que a Ford projetou um carro especialmente para quebrar a hegemonia da Ferrari.

Azarão entre os indicados a Melhor Filme, Ford vs. Ferrari, extremamente competente nas categorias técnicas, é o favorito nesta categoria. Mas pode perder o troféu para Parasita ou O Irlandês, que também vêm fortes. Vale dizer: o prêmio do Sindicato dos Editores premiou Jojo Rabbit e o longa sul-coreano.

SOM

Prováveis vencedores:  Edição – 1917, Mixagem – 1917

Ah, as categorias que sempre nos causam confusão! Mas verdade seja dita: tanto o trabalho de um designer de som quanto o de um mixador (saiba mais sobre eles aqui) costumam andar juntos, então quase sempre os indicados a uma categoria se repetem na outra

Em 2020, isso aconteceu com quatro filmes: 1917, Coringa, Ford vs. Ferrari e Era Uma Vez…. Tanto o filme sobre automobilismo quanto o longa de Quentin Tarantino são fortes concorrentes, mas é bem provável que 1917 faça uma dobradinha aqui.

DESIGN DE PRODUÇÃO

Prováveis vencedores: Era Uma Vez em…Hollywood

A categoria, anteriormente, se chamava “Direção de Arte” – é a responsável por premiar a cenografia e a composição de todos os elementos em cena. O longa de Tarantino nos transporta com maestria para a Los Angeles do final dos anos 1960 e é o favorito a vencer, com 1917 (sempre ele) em segundo lugar.

MAQUIAGEM E CABELO

Prováveis vencedores: O Escândalo

O filme, que possui no elenco nomes como Nicole Kidman, Charlize Theron e Margot Robbie foi bem recebido pela crítica (as últimas duas atrizes, inclusive, foram indicadas ao Oscar), mas ficou de fora da categoria principal.

A história é baseada no escândalo real de assédio sexual envolvendo Roger Ailes, chefão do canal Fox News, e diversas funcionárias do veículo. O trabalho da equipe de maquiagem e cabelo foi louvável, e a semelhança entre as atrizes e as personalidades reais impressiona. Coringa e Judy correm por fora, mas as chances são pequenas.

FIGURINO

Prováveis vencedores: Adoráveis Mulheres

Páreo duro nesta categoria: Sandy Powell (O Irlandês) já venceu três vezes o Oscar. Mark Bridges, de O Coringa, duas. Mas Jacqueline Durran, que já ganhou anteriormente por Anna Karenina, é a favorita, novamente, por um filme de época. Quem pode surpreender é Arianne Phillips, que nunca ganhou antes e foi a responsável por reviver os hippies de Era Uma Vez em…Hollywood.

CURTAS

Prováveis vencedores:  Animação – Hair Love, Documentário – Learning to Skateboard in a Warzone (if you’re a girl), Live-action – Brotherhood

Fonte: super.abril.com.br

Print Friendly, PDF & Email
%d blogueiros gostam disto: