Dr. Neidson constata falta de insumos no Hospital de Base Ary Pinheiro

Dr. Neidson constata falta de insumos no Hospital de Base Ary Pinheiro

Deputado foi informado que, por falta de material, as cirurgias cardíacas não estão sendo realizadas no local

Em mais uma visita ao Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro, em Porto Velho, o deputado Dr. Neidson (PMN) verificou as principais necessidades da unidade. Segundo o parlamentar, em quase todos os setores por onde passou, as equipes de enfermagem informaram a falta de vários insumos para o atendimento médico.

“Entre os materiais que estão em falta, seringas são alguns deles. Pude verificar que só tinha seringa de 20 ml, o hospital não tem as demais como as de 1 ml, 3 ml, 5 ml e 10 ml. De acordo com os próprios servidores, o que falta mesmo é planejamento para a aquisição desses insumos”, disse Dr. Neidson.

O deputado foi informado que as cirurgias cardíacas também não estão sendo realizadas por falta de material.

“A exemplo de filtros de oxigênio, que custa em média, R$ 5 reais. O HB tem equipe médica, tem bons equipamentos, mas a falta de itens simples como este e vários outros, impossibilita a realização de uma cirurgia, deixando, por exemplo, pacientes ali há 62 dias aguardando para ser operado, conforme nos foi informado”, relatou o parlamentar.

Outra reclamação dos servidores, segundo Dr. Neidson, revela a falta de segurança no hospital. De acordo com as informações dos servidores, o contingente de agentes penitenciários é pouco em relação ao número de presos internados em aproximadamente quatro enfermarias no Hospital de Base.

“Da mesma forma, eles reclamam que também é bem reduzido o número de enfermeiros e técnicos de enfermagem para a demanda do hospital. São muitos pacientes para poucos profissionais, e isso sobrecarrega os trabalhos das equipes de saúde. Eles afirmam que já apresentaram reclamações diversas vezes, porém, segundo eles, nada é feito”, informou Neidson.

Em visita anterior ao hospital, quando conversou com a diretora adjunta do HB, Raquel Gil, Dr. Neidson foi informado sobre as cirurgias urológicas. Segundo Raquel, parte dos procedimentos estava sendo feita de forma terceirizada.

“Nessa visita fui informado que estão sendo realizadas mais as cirurgias abertas, no entanto, outras intervenções como as cirurgias urológicas a exemplo de litotripsia percutânea não estão acontecendo, exames com ureteroscópio rígido, entre vários outros procedimentos cirúrgicos urológicos, cardíacos e também os ortopédicos que não estão sendo realizados”, enfatizou o parlamentar.

Dr. Neidson se comprometeu a continuar fiscalizando a situação das cirurgias e as providências para que a falta de insumos seja resolvida.

“É inaceitável permitir que a população sofra nessas filas extensas na espera de cirurgias que não estão sendo realizadas por falta de material. Até os exames de ressonância, haviam me informado que a fila para esse exame tinha sido zerada, mas, os próprios funcionários afirmam que o excesso de trabalho impede que os exames sejam feitos. Aliás, nem para os servidores existe um local específico para que eles possam ser atendidos caso venham a adoecer ou precisar de uma emergência, eles também são obrigados a buscar a regulação. Isso também precisa ser reivindicado”, concluiu Dr. Neidson.

Fonte: Assessoria

Print Friendly, PDF & Email
%d blogueiros gostam disto: