Narguilé – Bonito e Fatal

Narguilé – Bonito e Fatal

Morte de uma mulher de 31 anos quando fumava narguilé reforça os riscos do consumo do produto.

No próximo mês será comemorado o Dia Nacional de Combate ao Fumo (29/08) com atenção especial à moda do consumo de narguilé, principalmente por pessoas de 13 a 31 anos, que formam o maior grupo
de usuários. O consumo do produto é considerado um problema de saúde pública pela OMS, pois, além de absorver substâncias tóxicas, o usuário inala os produtos da combustão do carvão utilizado para queimar o fumo. Uma simples sessão de narguilé consiste em uma centena de ciclos de tragadas.
O narguilé contém nicotina e as mesmas 4.700 substâncias tóxicas do cigarro convencional, entretanto, análises mostram que sua fumaça contém quantidades superiores de nicotina, monóxido de carbono, metais pesados e substâncias cancerígenas. Algumas mortes súbitas pelo uso de narguilé vêm sendo registradas pelo Brasil afora. A mais recente foi a de Larissa Carla Martinelli (31), que faleceu na madrugada do dia 13 deste mês após beber cerveja e fumar narguilé, numa tabacaria, no centro de Campo Grande.

Segundo a polícia, ela começou a sentir tonturas, caiu e passou a espumar
pela boca. A mãe da moça informou que Larissa tinha feito exames 15 dias antes e nada de anormal havia sido constatado. Apesar de todas as orientações dos médicos, notícias e testemunhos dos males causados pelo cachimbo d’água, a cada ano cresce o número de adeptos do narguilé.
Pela lei, os produtos do cachimbo não podem ser vendidos a menores
que também são proibidos de consumir as substâncias. Mas, em praticamente toda operação policial são feitas prisões de proprietários
e apreensões de menores consumindo o produto em estabelecimentos
do ramo.


EXPLOSÕES
Além de surgimento de doenças, o narguilé traz ainda outro perigo: explosões. Várias já foram relatadas, incluindo uma em Porto Velho, onde o jovem Dj Diego Henrique sofreu ferimentos graves no ano passado após a explosão de um equipamento utilizado para fumar narguilé. O acidente aconteceu no Espaço Alternativo.


RONDÔNIA CONTRA
Diversas cidades de Rondônia, entre elas Cacoal, Ji-Paraná e Porto Velho, proibiram, através de leis municipais, o uso de narguilé em locais públicos, a exemplo de praças de lazer, espaços esportivos e lugares onde exista aglomeração de pessoas.


O ALERTA
Cachimbar narguilé por uma hora equivale a fumar 100 cigarros nesse mesmo tempo. De uso coletivo e aparência exótica, o narguilé pode parecer menos nocivo que outros produtos de tabaco fumados por usar um filtro d’água e, muitas vezes, aromatizantes e flavorizantes, que conferem aroma e sabor agradáveis ao tabaco. Porém, assim como todos os produtos de tabaco fumados, ele causa câncer de pulmão, boca e bexiga, estreitamento
das artérias e doenças respiratórias, especialmente infecções graves. Além disso, ao compartilhar o narguilé com outros usuários, o fumante fica exposto ao vírus do herpes, à hepatite C e à tuberculose, entre outras doenças.

COMBATE

O Dia Nacional de Combate ao Fumo tem como objetivo reforçar as ações nacionais de sensibilização e mobilização da população para os danos sociais, políticos, econômicos e ambientais causados pelo tabaco. Criado em 1986 pela Lei Federal 7.488, a data inaugura a normatização voltada para o controle do tabagismo como problema de saúde coletiva.
Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o tabagismo mata 428 pessoas no Brasil por ano. Não há dados em separado dos óbitos causados pelo narguilé.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: